CPA – Comissão Própria de Avaliação

Criação, Composição, Relatório

 

A Faculdade de Santa Cruz da Bahia – FSC entende que o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior – SINAES tem contribuído de forma significativa para a condução do processo de autoavaliação, dando oportunidade para que a instituição repense a sua práxis pedagógica, uma vez que trabalha de forma articulada com todos os segmentos da IES e sociedade civil organizada. Nesse sentido, a autoavaliação tem a responsabilidade compartilhada, que exige clareza, transparência e, por conseguinte, divulgação ampla dos resultados. É dela que resultará a palavra da instituição sobre si mesma; sobre o balanço da realidade existente e daquela que é desejável e, ainda, o referencial para defendê-la enquanto Instituição de Ensino Superior.

Acreditando nessa premissa, a Comissão Própria de Avaliação – CPA, instituída através da Portaria nº 6, de 29 de setembro de 2012 tem desenvolvido um conjunto de ações, com o envolvimento da comunidade acadêmica e sociedade civil organizada, garantindo o caráter democrático do processo de autoavaliação institucional.

Os objetivos estabelecidos na proposta de Autoavaliação Institucional da FSC, têm se consolidado à medida que a cultura da avaliação tem sido disseminada em todas as dimensões que compõem a realidade da instituição, seja no âmbito de seus cursos, seja nas atividades de pesquisa, de extensão e responsabilidade social.

 

Dessa forma, explicar a realidade institucional para assegurar o desenvolvimento de ações conscientes que possibilitem a transformação dessa mesma realidade; definir objetivos e prioridades que viabilizem a revitalização da FSC, tornando-a politicamente capaz de contribuir para o atendimento das necessidades regionais e nacionais; e subsidiar as decisões administrativas em função dos resultados da ação avaliativa, garantindo a eficiência e a eficácia da Instituição, têm se constituído nas diretrizes gerais das atividades auto avaliativas.

Como metas a serem alcançadas tem se buscado através das ações institucionais:

  • Maior participação da comunidade nos Fóruns de debate e esclarecimento sobre os problemas institucionais; Decisão, dos Órgãos Colegiados, para refletir sobre questões inerentes aos cursos e à formação que oferecem.
  • Sedimentação da sensibilização, estabelecendo-se as bases para uma cultura da autoavaliação no projeto institucional;
  • Levantamento dos obstáculos para o definitivo comprometimento da comunidade acadêmica na realização da autoavaliação; e Consolidação do processo junto aos Órgãos Colegiados e demais setores da IES.

Para a consolidação dessas metas, o Planejamento Estratégico, Fórum de Avaliação A Comissão própria de Avaliação –CPA, consciente de seu papel, apresenta um conjunto de ações já realizadas em consonância com os objetivos e metas institucionais, atendendo às orientações da Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior-  CONAES, ao mesmo tempo em que sinaliza para a importância das contribuições da referida Comissão para o amadurecimento e consolidação de seu projeto de  autoavaliação institucional.

Criação e Composição

A criação da Comissão Própria de Avaliação- CPA aconteceu logo no segundo semestre de 2012, período em que foram iniciadas as atividades dos cursos de graduação, cuja atuação está baseada nas premissas da Lei 10.861/2004, que instituiu as bases para uma Avaliação e Autoavaliação Institucional, a partir das orientações do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior – SINAES, que deverá acompanhar e fornecer à comunidade acadêmica informações sobre o desempenho institucional, desempenho discente, recursos humanos, instalações, responsabilidade social, etc, assim como apoiar as avaliações externas, realizadas pelo Ministério da Educação.

Para garantir o processo democrático e participativo na avaliação institucional, legitimando as orientações do SINAES, a composição da CPA atende ao disposto do Inciso I, § 2º, do art. 7º da Portaria 2.051/2004 e contempla todos os segmentos da comunidade acadêmica, sendo a escolha feita por seus pares, obedecendo a seguinte estrutura:

02 representantes do corpo docente, incluindo o Coordenador da CPA.

02 representantes do corpo técnico-administrativo;

02 representantes do corpo discente;

02 representantes da sociedade civil organizada.

O ato da nomeação da CPA se deu através da Portaria Nº 06, de 29 de setembro de 2012, atendendo aos procedimentos formais dos órgãos superiores da Faculdade de Santa Cruz da Bahia, representados pelo Diretor Geral, garantindo a legitimidade e reconhecimento da comunidade acadêmica, estando, portanto, assim constituída:

 

Presidente : Maria  Cristina Machado Argolo

 

Membros e Segmentos 

Corpo Docente

Maria  Cristina Machado Argolo

Raílda de Oliveira Santana

Corpo Técnico – Administrativo

Emanuela Cristina Argolo Brito

Cássia Virginia de Abreu Matos

Corpo Discente

Marcos Oliveira  Santos Martins

Flaviana da Silva Martins Santos

Representantes da Comunidade

Raimundo Ramos dos Santos

Zenildo Nascimento Aragão

 

Fale com a CPA: cpa@fsc.edu.br 

 

Relatório Parcial* 2018.1 

Relatório Parcial 20181CPA

 

* Relatório parcial implica que a conclusão será efetivada com o relatório de 2018.2